Capitalismo consciente na busca por um mundo mais humano

A segunda palestra do fórum foi apresentada por Hugo Bethlem, diretor geral do Instituto Capitalismo Consciente Brasil


A segunda palestra do VIII Fórum de CEOs abordou o capitalismo consciente como forma de humanizar o mercado e melhorar a qualidade do mundo em que vivemos. Apresentada por Hugo Bethlem, diretor-geral do Instituto Capitalismo Consciente Brasil, a palestra fez um retrospecto da sociedade a fim de mostrar que o capitalismo foi o grande responsável pelos principais progressos mundiais, mas também por alguns dos grandes problemas da atualidade.


“Capitalismo é a capacidade e a liberdade individual do ser que busca desenvolver algo para o bem coletivo”, comentou Bethlem explicando que o capitalismo consciente é o projeto que visa buscar uma alternativa mais humanizada para continuar gerando riqueza, porém para todos os stakeholders, atingindo, assim, impactos positivos além do lucro. “Se você tem comida, um teto, roupas e calçados, você é mais rico do que 75% da população mundial. Se tem dinheiro no bolso ou uma conta bancária, pertence aos 8% mais ricos do globo. Vivemos esse grande desafio de como faremos para mudar esse cenário”, completou.


Empresas com propósito – Abordando o mercado corporativo, o especialista enfatizou que é preciso alinhar o propósito do profissional ao propósito das empresas. Usando exemplos de marcas que têm propósitos bem definidos – e criam metas para persegui-los – o palestrante mostrou que o lado humano dessas empresas também prevalece.


Uma das empresas apresentadas foi a Reserva, marca brasileira que tem, como propósito, cuidar, emocionar e surpreender as pessoas todos os dias. Alinhada a isso, desenvolveu o projeto 1P=5P para reduzir o impacto da fome no Brasil. Assim, a cada peça vendida pela marca, o projeto viabiliza a entrega de cinco pratos de comida para quem tem fome. “A fome é o maior problema do Brasil. 52 milhões de pessoas não sabem se terão o que comer hoje. 10 milhões têm certeza que não comerão nada neste dia”, comentou Bethlem após falar sobre o empenho da marca em impactar a sociedade


Caminhos para o capitalismo consciente – Para o especialista, só há um caminho para o capitalismo consciente: liderança. “É preciso viver de verdade e, por isso, os valores desses líderes são fundamentais. E mais do que a ética, a integridade é o primeiro valor inegociável. O líder precisa ser honesto consigo mesmo e, a partir daí gerar confiabilidade. Na sequência é preciso ter coragem moral para dizer o que é certo e o que é errado mesmo diante das dificuldades”, declarou.


Falando sobre diversidade e sobre a importância dos diferentes perfis dentro das corporações, o especialista falou sobre a mescla das características masculinas maduras (como força, coragem e foco) com as características femininas maduras (como empatia, abertura e harmonia). Na sequência, citou o conceito selfless, que significa altruísta em inglês, e é também um acrônimo para Strengh (força), Enthusiasm (entusiasmo), Love (amor), Flexibility (flexibilidade), Long-term Orientation (orientação de longo prazo), Emotional Intelligence (inteligência emocional), Systems Intelligence (inteligência sistêmica) e Spiritual Intelligence (inteligência espiritual).


“As empresas são geridas através do medo. E quando você tem medo, sua reação é animal. Você trava e, se travar, deixa de pensar. Se não pensa, não cria, e se não cria, não tem coragem de assumir riscos e errar”, falou sobre a importância de gerir negócios sob os conceitos do amor e do carinho e como essa mudança de cultura conquista os colaboradores para que sejam ainda mais comprometidos.




© 2018 por ABPRH Associação Brasileira dos Profissionais de RH | Av. das Nações Unidas, 14.401 - Conj 1302 - Torre Tarumã

Parque da Cidade - São Paulo/SP - CEP: 04794-000 

Orgulhosamente criado por Eleven2You