Herói corporativo é tema de palestra de encerramento do VIII Fórum de CEOs

Apresentada por Maria Tereza Gomes, autora do livro “O Chamado”, palestra falou sobre os comportamentos das pessoas que se destacam


Maria Tereza Gomes é proprietária e diretora da Jabuticaba Conteúdo, além de autora do livro “O Chamado”, que trata do que é preciso fazer para ser herói do próprio destino. Amparada por uma sequência de entrevistas individuais com grandes CEOs de empresas brasileiras e pelos estudos do sociólogo americano Joseph Campbell, dentre eles o livro “O Herói de Mil Faces”, a especialista desenvolveu toda uma linguagem comportamental das pessoas que se destacam em suas carreiras. E apresentou um pouco de seu vasto conhecimento na palestra de encerramento do VIII Fórum de CEOs, realizado pela abprh no dia 23 de agosto em São Paulo.


“Esse livro [O Herói de Mil Faces] lançou um conceito provocador, inquietante e estimulante sobre a jornada do herói. Descobriu, que ao olhar para a história, todos os personagens heroicos têm uma trajetória muito parecida”, iniciou Maria Tereza ao citar o termo “monomito”, consolidado por Campbell. “Todos os heróis da história tiveram um nascimento miraculoso, atenderam a um chamado, partiram para uma grande aventura, enfrentaram medos, passaram por provas e desafios, e voltaram para compartilhar seus aprendizados”, declarou a escritora.


Segundo ela, Campbell segmentou a jornada do herói em três grandes grupos: partida, iniciação e retorno. “Trata-se de uma trajetória composta por 17 etapas”.


Sempre mesclando o conceito do herói a histórias mitológicas ou religiosas, Maria Tereza enfatizou, por exemplo, a etapa intitulada “ventre da baleia”, que diz respeito à história bíblica do profeta Jonas que, ao desobedecer a Deus, foi jogado ao mar e engolido por uma baleia, dentro da qual permaneceu por três longos dias. “Qual seria a fase do ‘ventre da baleia’ para um CEO? Seria a hora dele se retirar por um tempo para estudar, aprender e voltar melhor preparado para encarar os desafios”, disse apontando que esta é uma fase repleta de autoconhecimento.


Lembrando que, segundo Campbell, herói é qualquer pessoa capaz de abdicar de suas necessidades em nome de outro, a palestrante mais uma vez assimilou a figura do presidente corporativo à do herói. “O CEO muitas vezes abdica de seu lazer, de seu tempo em família, para cumprir as atribuições de seu cargo”.


Apresentando algumas das entrevistas que realizou ao longo da carreira com grandes CEOs do mercado corporativo brasileiro, Maria Tereza entrou na questão da aposentadoria, que nem sempre é uma decisão fácil e atrativa a esses profissionais. “Todo mundo que já passou por um momento de deixar uma posição importante sabe do que estamos falando”, disse. Para ela, muitas vezes o caminho mais acessível para o presidente corporativo é direcionar-se ao conselho de administração da empresa, local onde ele poderá compartilhar todo seu conhecimento.


“Muitas vezes olhamos o presidente das empresas como uma pessoa inalcançável, que não vivencia crises tampouco problemas. E minha experiência nessa saga de entrevistas diz que devemos dar destaque ao ser humano que está por trás deste cargo”, finalizou.

© 2018 por ABPRH Associação Brasileira dos Profissionais de RH | Av. das Nações Unidas, 14.401 - Conj 1302 - Torre Tarumã

Parque da Cidade - São Paulo/SP - CEP: 04794-000 

Orgulhosamente criado por Eleven2You