Reconhecimento e bem-estar estão no foco da gestão de RH

Executivos destacam que o sucesso em retenção vai muito além do salário


São Paulo, 03/10/18 – “Só falam de salário no Brasil, mas um programa de recompensa não é apenas isso, inclui reconhecimento, benefícios e componentes variáveis como saúde e bem estar”, afirmou a diretora de Total Rewards Americas da HP, Claudia Giusti no painel no IV Fórum de Remuneração e Benefícios promovido pela ABPRH (Associação Brasileira dos Profissionais de Recursos Humanos), no dia 3 de outubro em São Paulo.


Ao lado do diretor de RH e Comunicação Grupo Baumgart/Vedacit, Gustavo Mançanares Leme, ela participou do painel “O RH como Arquiteto de Experiências” no auditório do Hospital 9 de julho, que contou com a moderação da diretora de RH da RB Serviços, Cineide Jorge.


De acordo com Cineide, uma ampla pesquisa sobre retenção realizada pela organização onde atua mostrou a importância do salário em terceiro lugar, atrás do bem-estar e do sentimento de fazer parte da história da empresa. “Isso é o que move e inspira cada um a estar conosco e fazer a melhor entrega”, disse ela.


No Grupo Baumgart/Vedacit, um dos pontos-chave no que tange a experiência do colaborador é o fato de todos saírem sempre às 18h. “Eu tenho dois filhos que eu busco na escola todos os dias, e isso não tem preço”, pontua ele, destacando que o ser humano tem que ser o centro desse processo de retenção e que cada empresa precisa construir suas próprias práticas, independentemente dos conceitos existentes no mercado. “Acho que a gente tem que ser mais ousado em criar, e com a participação de todos. Essa nova geração se não participar das decisões vai embora”, completa.


Com um turnover inferior a 2%, a HP dedica-se a um plano de ação para enfrentar as sete razões que fazem os funcionários deixarem as empresas. Segundo Cláudia, elas são: falta de esperança em desenvolvimento de carreira; falta de feedback, não-reconhecimento; trabalho que não atende às expectativas; trabalho não relacionado ao talento e interesses; sobrecarga e estresse e falta de confiança nos líderes.


“Temos um programa de reconhecimento no qual a avaliação de desempenho não tem nota ou comparação com as outras pessoas e nosso desafio em remuneração e benefícios e nos superarmos a cada dia. Para o gerenciamento de estresse, o programa de bem-estar inclui meditação guiada e terapias”, explica Claudia, lembrando que a HP figurou na lista da premiação das Melhores Empresas para Trabalhar de 2018.

© 2018 por ABPRH Associação Brasileira dos Profissionais de RH | Av. das Nações Unidas, 14.401 - Conj 1302 - Torre Tarumã

Parque da Cidade - São Paulo/SP - CEP: 04794-000 

Orgulhosamente criado por Eleven2You